Relatório da Reuters sobre futuro do jornalismo cita Projeto Comprova
  • 14.01
  • 2019
  • 18:00
  • Natália Silva

Acesso à Informação

Relatório da Reuters sobre futuro do jornalismo cita Projeto Comprova

Todos os anos, o Instituto Reuters de jornalismo publica um relatório com avaliações do ano que passou e previsões para o futuro próximo do jornalismo. No documento referente a 2019, o Projeto Comprova - do qual a Abraji fez parte como parceira institucional - foi citado como um exemplo de jornalismo colaborativo e de combate à desinformação. 

O Comprova foi uma coalizão formada por jornalistas de 24 diferentes veículos brasileiros que trabalhou para identificar e explicar rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação que pudessem influenciar a campanha para as eleições presidenciais no Brasil em 2018. Durante o período eleitoral, o projeto recebeu mensagens por WhatsApp solicitando a verificação de conteúdos duvidosos nas redes sociais. Ao todo, 147 notícias foram checadas. 

O relatório foi assinado pelo pesquisador Nic Newman e teve como base uma pesquisa feita com 200 líderes digitais de 29 países. Além da ênfase no perigo da desinformação, Newman citou tendências a serem observadas no jornalismo de 2019, como o crescimento da importância do áudio nas notícias e a perda de espaço do Facebook para a difusão de notícias. 

Brasil: um exemplo para outras eleições

De acordo com o relatório, a experiência do Brasil durante as eleições de 2018 servirá de lição para outros países que passarão por processos eleitorais em breve, como Índia e Indonésia. A ascensão do WhatsApp como mecanismo de difusão de informações foi monitorada pelo Instituto, que destacou os perigos trazidos por essas redes fechadas. “Quando só alguns aplicativos dominam a maneira como as pessoas compartilham informações, os riscos de desinformação e manipulação crescem exponencialmente.”

Nesse cenário, o Comprova foi citado como um tipo de teste para saber se é possível denunciar a desinformação nessas plataformas. Apesar do número alto de notícias desmentidas pelo projeto, o Instituto afirma que esse trabalho é apenas “uma gota no oceano em comparação com a escala do problema”. 

O projeto colaborativo de checagem de fatos também foi mencionado ao lado do “Verificando”, do México, como parte de uma tendência para 2019. O Instituto acredita que, cada vez mais, jornalistas trabalharão de maneira colaborativa para melhorar a difusão de informações confiáveis, dentro e fora do contexto eleitoral.

Leia mais sobre
O que a API do WhatsApp significou para o Comprova
Comprova fecha um ciclo no Brasil
Em tempos de desinformação, redações colaborativas sustentáveis devem se tornar uma prioridade
As ondas de desinformação nas eleições brasileiras

Assinatura Abraji