• 14.07
  • 2005
  • 15:21
  • MarceloSoares

Um muro no buraco

VANDER LINS GOMES - REPÓRTER DO FUTURO

Um buraco tem tirado o sossego dos moradores da Bela Vista. Não é um buraco comum: tem 15 metros de diâmetro, um metro e meio de profundidade e está localizado ao redor de um pilar de sustentação do Viaduto Doutor Plínio de Queirós.

O zelador Onildo Aires, 44 anos, conta que o buraco surgiu depois da queda de um caminhão-pipa que estava fazendo a limpeza do local, “o terreno cedeu com o peso do caminhão e formou o buraco”. A situação ficou mais complicada quando moradores de rua, que vivem sob o viaduto, passaram a utilizar o buraco como depósito de lixo de toda espécie, “esse lixo está com um cheiro horrível e fez surgir ratos e baratas no local”, ele completa.

A situação se estende por dois meses. Já foram feitas várias reclamações. A prefeitura, para minimizar o problema, fez um muro de um metro de altura cercando todo o buraco. “O pessoal da prefeitura ria enquanto fazia o serviço. Isso é um absurdo, um muro não é solução, não senhor” conta José Godoi Filho, 65 anos, camelô há quatro anos no local.

O viaduto passou por reformas recentemente, para concluir a construção do Passa Rápido da Avenida Nove de Julho.

Mas o que pouca gente sabe é que o problema do buraco está literalmente mais embaixo. Sob o buraco passa um córrego, o Saracura, que está canalizado e segue pelo subsolo da Avenida Nove de Julho. Essa canalização é muito antiga e já passou por reformas para conter os problemas constantes de enchentes e alagamentos da região, mas ainda não foi o suficiente. Em fevereiro, após uma forte chuva, o córrego rompeu o asfalto e formou também um buraco na Avenida Nove de Julho causando trânsito durante uma semana na região.

O buraco sob o viaduto tem a mesma origem. O córrego causou erosão no terreno, por isso, o peso do caminhão fez o terreno ceder mais rápido.

O problema está longe de ter uma solução. Segundo o advogado Geraldo de Castro e Silva, 56 anos, “nós não podemos fazer nada, isso é obrigação do poder público que abandonou a região nas mãos dos marginais”. A área também é utilizada como ponto de tráfico de drogas.

Nessa mesma semana foi registrada mais uma reclamação, sob o número 4097713, que cobra uma solução imediata para os problemas daquele ponto. O SAC (Serviço de Atendimento ao Cidadão) da Prefeitura informou um prazo de 30 dias para tampar o buraco e prometeu policiamento para a região.

Enquanto isso os moradores têm que esperar e torcer para o buraco não aumentar.
Assinatura Abraji