• 17.03
  • 2005
  • 14:48
  • MarceloSoares

Projeto Repórter do Futuro começa em 9 de abril

Violência, trânsito e educação são os principais problemas de São Paulo, na opinião de alunos de faculdades de jornalismo paulistanas visitados pela coordenação do projeto Repórter do Futuro. Promovido pela empresa Oboré há dez anos, desde o ano passado o projeto tem a participação da Abraji.

Seis escolas já foram visitadas por representantes da Abraji e da Oboré: Cásper Líbero, PUC, Mackenzie, Fiam, São Judas e Metodista. Nesta, professores manifestaram a intenção de adaptar parte da metodologia do projeto para atividades acadêmicas.

O projeto começa no dia 9 de abril, às 14h, e é voltado a estudantes de jornalismo de São Paulo. Durante dois meses, 25 estudantes participarão de palestras e entrevistas com jornalistas e fontes, complementando na prática o que aprendem em sala de aula. O período de inscrições encerra em 8 de abril. Os oito encontros ocorrerão aos sábados à tarde (das 13:30 às 18:00), para não interferir nas atividades acadêmicas.

Para definir alguns dos palestrantes deste módulo, os alunos preenchem cédulas respondendo quais são os três maiores problemas de São Paulo, quem são as três pessoas que mais entendem de cada um desses temas e quais são os jornalistas que mais entendem de Brasil. Os eleitos serão, então, convidados a proferir palestra e conceder entrevista coletiva aos alunos sobre suas áreas de atuação.

Álvaro de Azevedo, coordenador-assistente do projeto, demonstra entusiasmo pela receptividade dos alunos. “Eles se mostram muito receptivos quando apresentamos o projeto. Fazem diversas perguntas e respondem à eleição dos temas com critério e seriedade”, diz. O único problema, segundo ele, é que muitos alunos têm dificuldades para indicar no questionário quem são as fontes que, em sua opinião, mais entendem dos problemas indicados.
O início do curso e a seleção dos candidatos será no dia 9 de abril (sábado), das 14 horas às 18 horas no Centro de Imprensa / Redação-Escola da Oboré e sede da Abraji: Rua Rego Freitas, 454 - 8º andar - Vila Buarque (próximo à Igreja da Consolação).

A proposta pedagógica do projeto prevê que cada aluno produza textos jornalísticos e busque publicá-los. Para medir o empenho real de cada participante, o projeto aplica o critério da Reembolsa – cada selecionado paga R$ 260,00 (um salário mínimo), na forma de um cheque pós-datado que lhe será devolvido ao final do módulo caso assista todas as palestras, realize uma matéria semanal e consiga publicar ao menos uma delas , ao longo do módulo.

Outra marca do Repórter do Futuro é a produção dos Cadernos de Jornalismo, onde se publica a síntese das conferências.
Assinatura Abraji