Policiais intimidam repórter cinematográfico durante manifestação em Belo Horizonte
  • 12.12
  • 2019
  • 18:31
  • Abraji

Liberdade de expressão

Policiais intimidam repórter cinematográfico durante manifestação em Belo Horizonte

O repórter cinematográfico Paulo Pires (Rede Globo Minas) foi intimidado por cerca de onze policiais enquanto cobria um protesto dos profissionais em Belo Horizonte nesta quinta-feira (12.dez.2019). Os agentes de segurança disseram achar que Pires fosse um policial militar à paisana atuando como espião (popularmente chamado de P2), apesar de sua câmera ter a logomarca da Globo.

O jornalista mostrou sua identificação profissional, mas mesmo assim os manifestantes tomaram-lhe o equipamento e arrancaram seu crachá à força. A câmera e os documentos só foram devolvidos depois que a chefia de reportagem confirmou por telefone o vínculo de Pires com a emissora.

De acordo com o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais, policiais militares fardados que acompanhavam o protesto não agiram em defesa do repórter.

A Abraji manifesta solidariedade a Paulo Pires e condena a postura dos manifestantes que o hostilizaram mesmo diante de sua clara identificação como repórter. 

É lamentável que os policiais não entendam que cercear o trabalho de um jornalista que estava ali justamente para informar sobre suas reivindicações é prejudicar seus próprios pleitos. Lastimável também o fato de que as forças de segurança presentes à manifestação tenham falhado em proteger um profissional da imprensa.

Diretoria da Abraji, 12 de dezembro de 2019.

Assinatura Abraji