• 13.03
  • 2013
  • 16:05
  • Abraji

Acesso à Informação

Jornalistas de Juiz de Fora revertem mudança na divulgação de ocorrências pela PM


O comando da PM de Juiz de Fora garantiu na manhã desta quarta-feira (13.mar.2013) que voltará a divulgar informações completas sobre ocorrências. O comandante da 4ª Região da Polícia Militar do Estado, cel. Ronaldo Nazareth, se reuniu com o presidente do Sindicato dos Jornalistas da cidade, Ricardo Miranda, e com editores e diretores de jornais, rádio e TV da região.

A reunião foi convocada pelo sindicato depois que a PM deixou de informar nomes de vítimas nos boletins à imprensa. Há duas semanas (27.fev.2013) os jornalistas da cidade se reuniram na sede do sindicato e decidiram pela redação de uma carta repudiando as alterações nas sinopses das ocorrências. 

A Abraji teve acesso à íntegra do texto, que não foi divulgada a pedido do próprio presidente do Sindicato. Miranda preferiu marcar a reunião de hoje antes de divulgar o texto aprovado pelos jornalistas.

Na carta, os profissionais manifestam “preocupação e repúdio” pelo que consideram “falta de transparência e ocultação de informações acerca de ocorrências”. Mais adiante, os signatários enumeram “tentativas de obstruir o trabalho jornalístico de qualidade”: "a restrição do envio de ocorrências policiais, omissão de informações nos Registros de Eventos de Defesa Social (Reds, antigo BO) disponibilizados, além da tentativa de sugerir padrões de conduta da prática profissional. O Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) também foi proibido de repassar informações diretamente aos jornalistas".

O cel Ronaldo Nazareth prometeu à categoria voltar atrás e determinar que a Polícia divulgue todas as informações das ocorrências nas sinopses. Informou ainda que as alterações se deram na área de comunicação com a imprensa, e que não partiram do 4º Comando da PM. Para Nazareth, as sinopses das ocorrências deixaram de indicar os nomes das vítimas para protegê-las.

De acordo com jornalistas da região, a relação da imprensa com a corporação piorou depois que os veículos locais deram destaque ao aumento no número de homicídios em Juiz de Fora. No dia 6 de janeiro, o jornal Tribuna de Minas publicou a lista com os nomes de 100 pessoas assassinadas num período de 12 meses. O presidente do Sindicato, Ricardo Miranda, admitiu que a relação da imprensa com a PM foi afetada pela repercussão dessas reportagens.

Assinatura Abraji