• 12.04
  • 2005
  • 18:42
  • MarceloSoares

Jornalistas agredidos por seguranças em aterro sanitário

Dois jornalistas de Taubaté (SP) sofreram ameaças de seguranças responsáveis pelo aterro sanitário da Prefeitura, no dia 15 de março. Paulo de Tarso Venceslau, diretor de redação do jornal “Contato” e o repórter Alan Brito estavam no local para investigar denúncia que envolvia catadores de lixo, que estavam supostamente trabalhando e morando ilegalmente no aterro.

Paulo de Tarso conta que sua equipe contatava a assessoria de imprensa da Prefeitura há cerca de 10 dias, sem sucesso, para obter permissão de fazer reportagem no local. Com isso, mesmo sem permissão oficial e com o aviso do segurança de que ele chamaria reforço para tira-los dali, a dupla resolveu entrar no aterro.

Logo depois, seguranças da Prefeitura abordaram os jornalistas. “Começamos a discutir, eles queriam nos expulsar e nós argumentamos. Logo eu já fui agredido com pontapés e socos”, afirma Paulo de Tarso. Segundo ele, houve ameaças: “Eles disseram que, caso alguém morresse, não haveria testemunhas para comprovar assassinato”. Um dos seguranças teria tentado tirar o bloco e a máquina fotográfica das mãos de Brito.

Os jornalistas deixaram o local e foram à delegacia, onde foi registrada ocorrência e feito exame de corpo delito. Paulo de Tarso solicitou ao município a abertura de um inquérito para apurar o abuso de autoridade por parte dos seguranças da Prefeitura. Entre as entidades que expressaram solidariedade ao jornal estão a Federação Nacional de Jornalistas e a Ordem dos Advogados do Brasil, além de vereadores da cidade.

Segundo o chefe de comunicação da Prefeitura, Carlos Alberto Silva, os jornalistas “não tinham autorização para entrar no local, que não tem livre acesso porque requer cuidados especiais”. Segundo o funcionário público, “infelizmente houve um desentendimento e há denúncia de que Paulo teria sofrido alguma agressão por parte dos seguranças, que estavam fazendo seu trabalho”. Segundo ele, a Prefeitura começou a investigar o caso e ouvirá todos os envolvidos no episódio.

A Abraji condena a decisão da prefeitura de negar autorização para a cobertura de um assunto de interesse público. Condena também a atitude dos seguranças da prefeitura pelas agressões e ameaças aos jornalistas.

Ação recomendada
Escrever para a Prefeitura de Taubaté e acompanhar a investigação do caso, pedindo a punição dos seguranças envolvidos na agressão contra os jornalistas e solicitando informações sobre o motivo de não haver sido concedida autorização para que os jornalistas visitassem o local dentro dos “cuidados especiais” exigidos pela municipalidade.

E-mail: [email protected]
Fax: 00 55 12 3625.5000



A Abraji, em parceria com o Instituto Prensa y Sociedad, mantém um projeto que divulga alertas sobre atentados a liberdade de imprensa no Brasil. Os textos produzidos são divulgados para o mundo inteiro através da rede IFEX – International Freedom of Expression Exchange.

Caso você saiba de alguma agressão à liberdade de imprensa, envie um email para [email protected] Todos os alertas são checados antes da publicação.
Assinatura Abraji