Definidos os homenageados especiais do Prêmio Vladimir Herzog 2019
  • 27.08
  • 2019
  • 10:00
  • Natália Silva

Acesso à Informação

Definidos os homenageados especiais do Prêmio Vladimir Herzog 2019

A comissão organizadora do 41º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, da qual a Abraji participa, anunciou na última semana os homenageados especiais. Patrícia Campos Mello, Glenn Greenwald e Hermínio Sacchetta (in memoriam) foram os escolhidos por sua atuação em prol da liberdade de expressão e do direito ao acesso à informação.

Patrícia Campos Mello dedicou mais uma vez a homenagem a mulheres jornalistas que, assim como ela, sofreram algum tipo de intimidação na tentativa de realizar seu trabalho. “É uma honra receber um prêmio que homenageia um jornalista que se tornou um mártir da ditadura ao morrer fazendo seu trabalho”, disse. A jornalista acrescentou que a homenagem concedida a Glenn Greenwald, ameaçado pelo presidente Jair Bolsonaro por conta das publicações da Vaza Jato, é importante para sinalizar que “esse tipo de tratamento à imprensa não é aceitável”.

Vladimir e Paula Sacchetta — filho e neta de Hermínio, respectivamente — receberam a homenagem póstuma com grande emoção. Sacchetta começou sua carreira no jornalismo no final da década de 1930 e até sua morte, em 1982, foi responsável pela formação de inúmeros jornalistas que cruzaram seu caminho nas redações de Correio Paulistano, Folha da Manhã, Folha da Noite, Diários Associados e Folha de S. Paulo. “Trazer para os dias de hoje a memória de um cidadão que passou a vida lutando por um país mais justo e feliz é um ato político”, afirmou Vladimir.

O prêmio existe desde 1979 e reconhece, desde sua criação, trabalhos que valorizam a democracia e os direitos humanos. Em 2019, houve recorde de inscritos: foram 692 produções, divididas em seis categorias (artes, fotografia, texto, vídeo, áudio e multimídia). Os finalistas serão anunciados em 27.set.2019 e os vencedores, em 11.out.2019.

Assinatura Abraji