• 12.01
  • 2004
  • 21:14
  • toledo

Acesso à Informação

BD sobre Crime Organizado chega a 228 nomes

O Banco de Dados sobre Crime Organizado da Abraji foi atualizado e chegou a 228 registros. Ele inclui os nomes e dados básicos sobre acusados de narcotráfico, lavagem de dinheiro e tráfico de órgãos. O BD é experimental e está disponível para os sócios cadastrados da Abraji na Biblioteca do site.


A monitora Carol Hungria incluiu 62 novos nomes, presos e/ou acusados desde o final do ano passado, e três novos campos: juíz do caso, montante financeiro e nome da operação policial (Anaconda, Bisturi etc). A fonte da maioria das informações é a Polícia Federal, mas alguns casos são extraídos da imprensa.



Uma breve consulta mostra uma concentração de registros nos Estados de São Paulo (46), Paraná (34), Rio de Janeiro (25), Mato Grosso do Sul (25), Distrito Federal (12) e Mato Grosso (11).


A substância traficada mais comum entre os registros do Banco de Dados é cocaína (92 entradas), seguida de maconha (60 entradas). Há ainda 9 casos de Ecstasy e 4 de órgãos humanos. Vale lembrar que os registros do BD da Abraji não têm representatividade estatística (ao menos por enquanto) para se fazer inferências sobre o tráfico de drogas no país.


O objetivo é que os jornalistas que passem a usar o BD ajudem a Abraji a melhorá-lo, complementando as informações e incluindo novos registros. Dúvidas e sugestões podem ser encaminhadas para Carol Hungria ([email protected]) ou para mim ([email protected]).


O BD está em formato Access e necessita que o programa esteja instalado no seu computador para ser aberto. No site da Abraji, ele pode ser encontrado para download na Biblioteca/CAR, na parte fechada a sócios inscritos.

(JOSÉ ROBERTO DE TOLEDO)

Assinatura Abraji