Apoiadores do presidente Bolsonaro voltam a intimidar jornalistas em manifestações
  • 22.06
  • 2020
  • 19:00
  • Abraji

Acesso à Informação

Apoiadores do presidente Bolsonaro voltam a intimidar jornalistas em manifestações

Dois profissionais da Jovem Pan foram vítimas de agressões e ofensas, enquanto cobriam manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro, em Brasília e em São Paulo, no domingo, 21.jun.2020. Apoiadores do presidente intimidaram e xingaram os repórteres como forma de impedi-los de realizar seu trabalho.

Em Brasília, na Esplanada dos Ministérios, um homem de camiseta azul, verde e amarela pegou a mochila do repórter da empresa, obrigando o profissional a puxá-la de volta. Outros apoiadores do presidente Bolsonaro o cercaram e começaram a xingá-lo. "Você é um lixo, igual à empresa em que você trabalha", disse uma militante. Depois de recuperar a mochila, o jornalista saiu correndo. Por orientação da empresa, ele deixou o local sem concluir a reportagem.

Na Avenida Paulista, em São Paulo, outro repórter da Jovem Pan foi impedido de gravar agressões de um apoiador do presidente. Um homem de camiseta azul listrada e máscara no queixo chutou um carro. Ao perceber que estava sendo gravado, bateu de peito com o jornalista, o que fez seu celular cair e quebrar.

A Abraji repudia ataques a jornalistas que cobrem manifestações, seja a favor, seja contra o presidente Jair Bolsonaro. Fato é que, ao não condenar publicamente as agressões e mesmo incentivá-las via redes sociais ao atacar veículos e profissionais da imprensa, o presidente incentiva seus militantes a fazerem o mesmo. No entanto, atacar o mensageiro não fará com que as notícias parem de ser publicadas. 

O Estado precisa garantir a segurança do trabalho da imprensa, sob pena de afrontar dois dos direitos fundamentais garantidos pela Constituição: a livre expressão da atividade de comunicação (art 5º, IX) e o acesso à informação (art 5º, XIV). 

Diretoria da Abraji, 22 de junho de 2020.

Assinatura Abraji