Ao tentar desqualificar repórter, ministro da Educação abre portas para ataques à profissional
  • 09.10
  • 2019
  • 14:00
  • Abraji

Liberdade de expressão

Ao tentar desqualificar repórter, ministro da Educação abre portas para ataques à profissional

Desde a noite de segunda-feira (7.out.2019), a repórter Isabela Palhares recebe em suas redes sociais mensagens agressivas e ofensas misóginas, provocadas por uma postagem do ministro da Educação no Twitter. Ele reclamou da reportagem “Ministro entrega ônibus escolares comprados na gestão anterior e diz fazer 'muito com pouco'”, de autoria de Isabela. Na tentativa de desqualificar a repórter, Abraham Weintraub escreveu entre aspas sua atividade ("jornalista" e "jornalismo"), colocando em dúvida seu profissionalismo. O ministro tem direito de não gostar de uma reportagem e de criticar o autor ou a autora. No caso em questão, porém, não se trata de crítica, mas de ataque e tentativa de intimidação em uma plataforma pública.

Weintraub não contesta informações da reportagem; limita-se a desqualificar a jornalista. Ao identificá-la diretamente, deu instrumentos para que seus simpatizantes encontrassem seus perfis em redes sociais e a assediassem.

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), a Jeduca (Associação de Jornalistas de Educação) e a organização Jornalistas Contra o Assédio manifestam solidariedade a Isabela Palhares e repudiam a ironia feita pelo ministro Abraham Weintraub. Ataques pessoais a jornalistas e tentativas de desqualificar o trabalho da imprensa são expedientes antidemocráticos e agridem o direito à informação de toda a sociedade.

Diretoria da Abraji

Diretoria da Jeduca

Jornalistas Contra o Assédio

9 de outubro de 2019.

Assinatura Abraji