Alexandre Lyrio é o segundo convidado da live do Programa Tim Lopes
  • 05.04
  • 2021
  • 16:24
  • Abraji

Formação

Alexandre Lyrio é o segundo convidado da live do Programa Tim Lopes

A live do Programa Tim Lopes desta quinta-feira (08.abr.2021) recebe o jornalista Alexandre Lyrio, que foi repórter do Correio da Bahia e atualmente trabalha como assessor da Defensoria Pública de Salvador. A conversa é sobre Jornalismo Investigativo na cobertura de Direitos Humanos e será conduzida por Angelina Nunes pelo Youtube e Facebook da Abraji, às 21h.

Lyrio iniciou a carreira como repórter de esportes da TV Aratu (afiliada do SBT na Bahia) e depois se transferiu para o então Jornal Correio da Bahia. O jornalista acumula uma série de prêmios nacionais e internacionais. Em 2013, venceu o Prêmio da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) com a série “Justiça que Tarda e Falha”. Dois anos depois, conquistou o Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo com a série de reportagens “Tempo Perdido”, sobre adolescentes que cometem atos infracionais.
 
Ganhou também o Prêmio Petrobrás de Jornalismo e uma Menção Honrosa no Prêmio Vladmir Herzog de Direitos Humanos, ambos em 2016, com a série “Silêncio das Inocentes”, uma reportagem sobre a violência sexual sofrida por mulheres em Salvador. Com o mesmo trabalho, venceu o INMA Global Media Awards, considerada uma das maiores premiações do mundo. 

Alexandre Lyrio já fez coberturas de diversas temáticas, mas destacou-se produzindo reportagens sobre os direitos humanos. Também é autor do livro-biografia “Juliano Moreira, o Terapeuta do Afeto”, lançado em 2012. A publicação resgata a trajetória do médico e cientista negro baiano, considerado fundador da psiquiatria no Brasil.

Lives Programa Tim Lopes

A segunda temporada de lives do Programa Tim Lopes estreou em 11.mar.2021 com a repórter do jornal O Globo Vera Araújo. Os debates, comandados por Angelina Nunes, coordenadora do projeto na Abraji, trazem sempre a temática da segurança de jornalistas, a violência e as ameaças no ambiente digital. 

“Infelizmente os ataques a  jornalistas aumentaram no último ano e precisamos discutir cada vez mais protocolos de segurança e cobrar das autoridades a celeridade na investigação desses ataques, tanto no mundo virtual, como no mundo real. O linchamento virtual é um dos passos para  que as agressões sejam intensificadas por parte de grupos de ódio. O assassinato de jornalistas é uma consequência dessa sensação de impunidade”, avalia Nunes.

Para a ex-presidente e atual conselheira da Abraji, as lives são uma oportunidade de lembrar como, no chamado “Brasil Profundo”, os comunicadores ficam mais mais fragilizados e expostos a esse tipo de violência. “O risco está em todos os lugares, mas, nessas pequenas cidades distantes das grandes capitais, a vida desses profissionais está nas mãos de grupos de pistolagem contratados para cometer esses crimes”, destaca a jornalista.

Em 2020, Angelina Nunes dividiu o espaço de discussão virtual com 12 jornalistas. Veja aqui quem foram os entrevistados. 

Repositório de Lives

Para facilitar o acesso aos encontros virtuais e ao material exibido, foi criado um repositório dos programas já transmitidos. Confira aqui
 

Assinatura Abraji