15º Congresso da Abraji bate recorde de público
  • 14.09
  • 2020
  • 16:53
  • Stéfanie Rigamonti

Formação

15º Congresso da Abraji bate recorde de público

O 15º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), pela primeira vez realizado de forma on-line devido à pandemia de covid-19, bateu recorde de público com 10 mil inscritos até 14.set.2020. Como as inscrições foram prorrogadas até o dia 12.out.2020, esse número tende a crescer. O mesmo deve ocorrer com os eventos paralelos - o VII Seminário de Pesquisa e o 2º Domingo de Dados - que até então estavam com, respectivamente, 1,5 mil e 2,4 mil inscritos. 

"Nós não sabíamos muito bem o que esperar, pois foi o primeiro congresso virtual que organizamos. Os 10 mil inscritos estão acima dos números que prevíamos, sim, mas sobretudo a recepção positiva do novo modelo superou nossas expectativas", disse o presidente da Abraji, Marcelo Träsel. "Além da aceitação do novo modelo, verificamos muito mais efervescência a respeito do congresso nas redes sociais do que em anos anteriores".

Entre os temas abordados no evento, a pandemia esteve onipresente. "Até por conta da realização no formato on-line, acredito. Em diversas sessões, o tema surgiu de uma forma ou de outra, mesmo que em vários momentos o foco da discussão tenha sido outro", afirmou o presidente da Abraji. 

Apesar de não ter seu trabalho tão reconhecido pela sociedade na cobertura do novo coronavírus, como os profissionais da saúde, os jornalistas estão na linha de frente para trazer ao público informações sobre a doença, e muitos perderam a vida. Além disso, a crise econômica atingiu em cheio as redações, provocando demissões e redução de salários. Sem falar do impacto psicológico de cobrir a pandemia. Não à toa o tema foi abordado no 15º Congresso, na mesa Saúde Mental dos Jornalistas em Tempos de Pandemia com Meera Selva, diretora do programa de bolsas do Instituto Reuters para Estudo de Jornalismo, no Reino Unido, e Guilherme Valadares, fundador e diretor do Papo de Homem.

Outro assunto discutido no evento foram os ataques digitais a jornalistas, em especial a mulheres. Na mesa Ataques virtuais contra mulheres jornalistas na América Latina, a argentina Sandra Chaher, presidente da Asociación Civil de Comunicación para la Igualdad, disse que o ambiente virtual reproduz a violência estrutural que existe na sociedade contra as mulheres. Participaram do debate a colombiana Lina Cuellar, diretora e co-fundadora da Fundación Sentiido, a boliviana Isabel Mercado, diretora da Página Siete, e a venezuelana Gabriela Buada, fundadora do Caleidoscopio Humano.

Desinformação, polarização e meio ambiente

Além de uma mesa inteiramente dedicada à desinformação, com a presença de Craig Silverman, editor de mídia do Buzzfeed Canadá, o assunto permeou diversos painéis, como o que contou com o cientista-membro do Comitê de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste, Miguel Nicolelis, e que discutiu os desafios do jornalismo científico durante a covid-19. "A desinformação mata", afirmou ele, lembrando que já existe um movimento antivacina contra a covid-19, mesmo antes de ela ter sido criada.

A polarização política foi outro assunto presente no 15º Congresso. O filósofo norte-americano Jason Stanley, autor do livro Como funciona o fascismo - A política do nós e eles, discutiu o tema com Daniel Bramatti, do Estadão. Segundo Stanley, ao tratar adversários como inimigos, líderes populistas apostam na polarização para se manter no poder, ameaçando a democracia. Para Marcelo Träsel, há um retrocesso na democracia brasileira. "Embora não estejamos em um regime autoritário, o governo Bolsonaro está apertando esse nó", disse o presidente da Abraji. 

O meio ambiente e sua cobertura pela imprensa também estiveram presentes nas discussões do congresso. Jonathan Watts, editor global de meio ambiente do jornal britânico Guardian, afirmou que a humanidade falhou em relação a esse assunto, assim como o jornalismo. “Parte dessa falha é nossa. Governos, empresas e consumidores não foram convencidos da urgência da situação”, refletiu.

Racismo e bastidores de reportagens

Com a presença de Nikole Hannah-Jones, repórter do New York Times especialista na cobertura da questões raciais, de Flavia Lima, ombudswoman da Folha de S. Paulo, e de Yasmin Santos, ex-repórter da revista piauí, o painel Racismo dentro e fora das redações colocou o dedo na ferida. “Quando participei desse congresso em 2018, vi cinco jornalistas negros. Dois estavam em um painel sobre raça. Isso é problemático em um país com uma população negra tão grande como a do Brasil. A Abraji e a imprensa precisam se responsabilizar sobre isso”, disse Hannah-Jones.

Além dos assuntos mais urgentes da atualidade, o congresso trouxe mesas que já são tradicionais, como as que revelam bastidores de grandes reportagens. Foi o caso da que mostrou como a BBC desvendou um crime brutal na África, envolvendo quatro vítimas, sete suspeitos e o governo de Camarões. A partir de vídeos que circularam na internet, com informações controversas, jornalistas decidiram desvendar o crime utilizando-se de ferramentas digitais, como o Google Earth.

Outro painel revelou os bastidores de uma reportagem do Fantástico, cuja missão foi encontrar números que mostrassem que a violência policial estava se intensificando e fazendo mais vítimas nas periferias do Brasil. Durante palestra no congresso, Antonio Junião (Ponte Jornalismo), Nancy Dutra (TV Globo), Sônia Bridi e outras pessoas da equipe do programa semanal da Rede Globo mostraram como a falta de dados é um método do Estado para ocultar a violência policial no Brasil.

VII Seminário de Pesquisa e 2º Domingo de Dados

Dois eventos paralelos complementaram o 15º Congresso da Abraji. No dia 10.set.2020, aconteceu o VII Seminário de Pesquisa, com a discussão de pesquisas acadêmicas sobre jornalismo investigativo. No dia 13.set.2020, pelo segundo ano consecutivo, a Abraji realizou o Domingo de Dados, dia inteiramente dedicado ao jornalismo de dados, com oficinas para quem deseja dar os primeiros passos na área e também para quem já conhece o assunto e quer se aprimorar.

Confira aqui a cobertura completa do 15º Congresso, realizada por estudantes, recém-formados e jornalistas integrantes da Redação Laboratorial do Repórter do Futuro, da OBORÉ.

::Se inscreva e assista a todo o conteúdo do 15º Congresso até o dia 12.out.2020::

Assinatura Abraji