Programa oferece orientação jornalística para TCCs sobre o semiárido brasileiro
  • 26.09
  • 2018
  • 17:57
  • Rafael Oliveira

Formação

Programa oferece orientação jornalística para TCCs sobre o semiárido brasileiro

Estudantes de graduação que pretendam abordar o semiárido brasileiro em seus trabalhos de conclusão de curso (TCC) podem contar com uma ajuda extra: o Meus Sertões Universidade. O programa oferece orientação jornalística gratuita para trabalhos práticos sobre o tema e a única exigência é que o orientador acadêmico esteja ciente e de acordo.

A iniciativa é conduzida pelo jornalista Paulo Oliveira, criador do site Meus Sertões. Segundo ele, a expectativa do projeto é, além de produzir bons trabalhos, “ajudar os participantes a conhecer melhor o semiárido”. “[É uma] região rica em saberes, cultura, história e muitas outras coisas que foram escamoteadas pela forma com que ela é retratada, principalmente no sul do país, onde o noticiário se volta para a miséria, a seca e o preconceito”, diz.

O site Meus Sertões surgiu em março de 2016 com o objetivo de descobrir e contar histórias do sertão do Brasil. Em fevereiro de 2017, foi procurado pela primeira vez pela estudante de jornalismo Camila Gabrielle, que compartilhava do mesmo incômodo que levou à criação do site. “Eu estudo jornalismo na Unesp em Bauru, mas sou nordestina. E aqui, percebi que infelizmente ainda existe preconceito de algumas pessoas em relação aos nordestinos e que o sertão sempre era visado como um lugar horrível”, conta a estudante.

Alguns meses depois, Gabrielle retomou o contato com o Meus Sertões, desta vez para propor uma parceria: lançar no site o documentário que está produzindo como trabalho de conclusão de curso , junto com reportagens e uma galeria de fotos sobre a região. Além do espaço, a estudante passou a ter a ajuda de Paulo Oliveira. “O Paulo está me orientando sobre os textos, me deu várias dicas, tivemos várias conversas por Skype... enfim, está sendo uma parceria maravilhosa”, diz a jovem jornalista.

O sucesso da colaboração entre o veículo e a estudante foi o que motivou a criação do Meus Sertões Universidade. “É recompensador encontrar jovens interessados em temas relevantes, dispostos a dividir o conhecimento e que utilizam as críticas para aprimoramento pessoal e do trabalho que realizam”, afirma Oliveira.

O limite de acompanhamento é de três estudantes por ano, e para se candidatar basta enviar um e-mail para [email protected] A orientação será feita continuamente por meios digitais, como WhatsApp, e-mail e Skype, mas também pode ser feita in loco. “É importante ressaltar que a última palavra na condução do trabalho e na forma como o jovem quer apresentá-lo para o público é definida por ele. Não impomos nada”, ressalta o criador do Meus Sertões.

Assinatura Abraji