Jornalista venezuelano é preso acusado de envolvimento no apagão que atinge o país
  • 12.03
  • 2019
  • 18:00
  • Natália Silva

Liberdade de expressão

Jornalista venezuelano é preso acusado de envolvimento no apagão que atinge o país

O jornalista venezuelano Luis Carlos Díaz, que trabalha na Rádio Unión de Caracas, foi preso em 11.mar.2019 por agentes do governo. Segundo o sindicato de jornalistas da Venezuela, a prisão foi feita por suspeita - levantada pelo presidente Nicolás Maduro - de envolvimento do jornalista no apagão que atinge todo o país. Maduro alega que a falta de energia é resultado de sabotagem, provocada por hackers aliados ao governo de Donald Trump.

Em vídeo publicado no Twitter pelo Sindicato Nacional dos Trabalhados de Imprensa da Venezuela, Naky Soto, mulher do jornalista, conta que agentes do serviço de inteligência do país levaram Díaz até a casa em que os dois vivem, revistaram o local e apreenderam computadores, pen drives, celulares e dinheiro.

Em nota, a Sociedade Interamericana de Imprensa condenou o “novo ataque à liberdade de imprensa” e exigiu a libertação imediata do jornalista. Em rede social, Juan Guaidó, líder da Assembleia Nacional e autodeclarado presidente interino do país, afirmou que a perseguição a jornalistas continua a acontecer no país.

Prisões de jornalistas na Venezuela

Diversos ataques contra a liberdade de imprensa aconteceram na Venezuela em 2019. Em janeiro, o repórter brasileiro Rodrigo Lopes (RBS) foi retido por duas horas em uma unidade militar em Caracas. O caso foi abordado em nota publicada pela Abraji.

Em fevereiro, a Abraji subscreveu uma carta aberta que condena as violações à liberdade de expressão e graves ataques à liberdade de imprensa no país.

Assinatura Abraji