Institucional

Sobre a Abraji

“Durante o Seminário, vários de nós voltamos a nos perguntar por que não temos ainda no Brasil uma instituição formada e mantida por jornalistas, independente, voltada para a troca de informações entre nós, para a formação profissional, para o aprofundamento dos conhecimentos e uso de ferramentas na área do jornalismo investigativo, para a formação de uma literatura e bancos de dados, para a promoção de seminários, congressos e oficinas de aperfeiçoamento profissional.

Uma entidade que fosse voltada principalmente para o trabalho de crescimento profissional dos jornalistas, o que significa um respeito à sociedade que nos cobra um jornalismo de qualidade.”

Com estas palavras, Marcelo Beraba convidava por e-mail outros 44 repórteres e editores de diferentes veículos e estados brasileiros a unir-se em uma nova associação. Era 4 de setembro de 2002. O seminário a que Beraba fez referência, intitulado “Jornalismo Investigativo: Ética, Técnica e Perigos”, fora realizado no Rio de Janeiro em 31 de agosto daquele ano como resposta ao assassinato do jornalista Tim Lopes, sequestrado e torturado no Complexo do Alemão três meses antes.

Em dezembro de 2002, cerca de 140 jornalistas reunidos no auditório Freitas Nobre, da Escola de Comunicações e Artes da USP, ergueram o braço e decidiram associar-se no que hoje se tornou a Abraji.

Os objetivos inscritos no estatuto da associação permanecem os mesmos quinze anos mais tarde: o aprimoramento profissional dos jornalistas e a difusão dos conceitos e técnicas da reportagem investigativa.

Uma das formas mais eficientes de perseguir essas metas é a organização de congressos, seminários e cursos. Em 2017 será realizado pela 12ª vez o Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, evento consolidado no calendário de jornalistas e estudantes de jornalismo de todo o país. Desde 2015, a Abraji estruturou uma central de cursos on-line que tem oferecido treinamentos em jornalismo de dados, uso de SQL, cobertura de educação, uso da Lei de Acesso a Informações, investigação de contratos públicos, leitura de balanços de empresas e outros.

Outra das missões da Abraji é a defesa do direito de acesso a informações públicas: desde 2003, a associação coordena o Fórum de Acesso, rede de 25 organizações cuja pressão foi fundamental para a redação e aprovação da Lei de Acesso a Informações em fins de 2011. Hoje, a Abraji trabalha em diferentes projetos para garantir que organismos em diferentes níveis e esferas de poder cumpram a legislação.

Finalmente, a defesa da liberdade de expressão, que está no DNA da Abraji, compõe o terceiro pilar de atuação nos últimos quinze anos, com oferecimento de cursos de segurança para jornalistas, elaboração de um guia para cobertura de protestos e o acompanhamento de casos de censura judicial e de violência contra jornalistas.

Diretoria
Daniel Bramatti

Presidente da Abraji

Daniel Bramatti é editor do Estadão Dados, núcleo de jornalismo de dados do jornal O Estado de S.Paulo. Já atuou como repórter e subeditor de Política no mesmo veículo, onde está desde 2008. Entre 1994 e 2006, trabalhou na Folha de S.Paulo, na sede, na Sucursal de Brasília e como correspondente em Buenos Aires.

Guilherme Amado

Vice-presidente da Abraji

Guilherme Amado cobre crime organizado em diferentes vertentes. Em 2014, recebeu os prêmios Esso e Tim Lopes com a reportagem Os embaixadores do Narcosul. Publicou com Lauro Jardim as reportagens sobre a delação da JBS em O Globo. Licenciado do jornal, hoje é pesquisador em Stanford, onde estuda colaboração entre jornalistas investigativos.

Fabiana Moraes

Fabiana Moraes é jornalista vencedora de três prêmios Esso, além de um Embratel e o Grande Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2015. Tem mestrado em Comunicação e doutorado em Sociologia. É professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Tem quatro livros lançados: Os Sertões, Nabuco em Pretos e Brancos, No País do Racismo Institucional e O Nascimento de Joicy.

Fábio Oliva

Fábio Oliva é jornalista e advogado. Ativista da luta anticorrupção, é pós-graduando em Gestão Pública e Líder Avina (Fundación Avina). É fundador de uma ONG de combate à corrupção em Januária, MG, cujos trabalhos resultaram no afastamento ou cassação de sete prefeitos. É coautor do livro Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil e membro do Conselho de Administração da Amarribo Brasil.

Gabriela Moreira

Gabriela Moreira é repórter há 12 anos, trabalha na ESPN como repórter da TV e do site, onde mantém um blog com os bastidores do esporte. É uma das idealizadoras do portal Jogo Limpo, na ESPN, voltado para recebimento e apuração de denúncias de corrupção no esporte. Trabalhou em O Dia, Estadão, Extra, O Globo, CBN e como assessora de imprensa na Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro. Ganhou prêmios como Esso, Tim Lopes, Vladimir Herzog e SIP.

João Paulo Charleaux

João Paulo Charleaux é repórter especial do Nexo Jornal. Escreveu para Folha, Estado e O Globo. Foi editor, correspondente, enviado especial e analista internacional de diversas publicações brasileiras e estrangeiras, no Brasil e no exterior.

Juan Torres

Juan Torres é editor de Inovação do Correio (BA) e gerente de projetos da Escola de Dados. Em 2016, foi fellow ICFJ no programa Caminho Digital para Empreendedorismo e Inovação na América Latina e atuou no Texas Tribune. Tem passagens pelo diário Marca (Madri), Globesporte.com (RJ) e jornal Extra (RJ). Teve trabalhos reconhecidos nos prêmios INMA Global Media Awards (2016 e 2017), Latam Digital Media (2015, 2016 e 2017) e Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos (2016).

Maiá Menezes

Maiá Menezes é formada em Jornalismo pela UFRJ, com pós-graduação em Políticas Públicas. Atuou como repórter nos jornais O Dia e O Globo. Ganhou prêmios jornalísticos como o CNT, o Esso, o Rei de Espanha e o IPYS. Cobriu administração pública e política na maior parte da carreira. Atualmente é editora-adjunta de Política em O Globo.

Malu Gaspar

Malu Gaspar é repórter da revista Piauí e autora do livro Tudo ou Nada: Eike Batista e a Verdadeira História do Grupo X, da Editora Record. De 2010 a 2015, foi editora de VEJA no Rio de Janeiro e chefe da sucursal do Rio da revista EXAME, sempre cobrindo Economia e Negócios.

Marcelo Träsel

Marcelo Träsel é jornalista, mestre em Comunicação e Informação (UFRGS) e doutor em Comunicação Social (PUC-RS). Atuou como docente na Famecos/PUC-RS entre 2007 e 2016, onde criou o curso de especialização em Jornalismo Digital. Desde julho de 2016, atua como professor e pesquisador na Fabico/UFRGS. Coordena o Seminário de Pesquisa em Jornalismo Investigativo da Abraji.

Vladimir Netto

Vladimir Netto é repórter do Jornal Nacional da TV Globo. Antes, passou por Jornal do Brasil, Veja e O Globo. Foi o jornalista que revelou as contas secretas do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, o que o levou a perder o cargo e o mandato. Em 2016 lançou seu primeiro livro, Lava Jato: o juiz Sérgio Moro e os bastidores da operação que abalou o Brasil.

Conselho Fiscal
Leandro Demori

Leandro Demori é jornalista, formado pela PUC-RS, especializado em jornalismo investigativo com ênfase em máfia pela Associação de Jornalismo Investigativo do Lazio (Roma, Itália) e certificado como Investigador Web pela City University London (Inglaterra). Editor do site da revista Piauí, é autor de Cosa Nostra no Brasil, a história do mafioso que derrubou um império.

Sergio Spagnuolo

Sergio Spagnuolo é jornalista, fundador e editor da agência de jornalismo de dados Volt Data Lab, além de mestre em Relações Internacionais e Direitos Humanos pela PUC-SP. Em 2016, foi fellow do Tow-Knight Center for Entrepreneurial Journalism, em Nova York. Atuou pelas agências Reuters e Mergermarket, publicou nas revistas AméricaEconomia, Época Negócios, IstoÉ Dinheiro e Capital Aberto, além de ter colaborado com os portais da revista Piauí, Yahoo News e Jota.

Thiago Prado

Thiago Prado é formado pela UFRJ. Trabalhou como repórter no jornal O Dia (2006-2010). Com a série Dossiê Milícia, conquistou os prêmios Lozenzo Natali e Tim Lopes. Com a série Cartel das Vans, venceu o prêmio CNT de Jornalismo. Foi assistente da coluna Radar da revista VEJA entre 2010 e 2015. No período, conforme sentença do juiz Sérgio Moro, produziu a reportagem que resultou na prisão do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. Tornou-se editor de VEJA em 2015.

Conselho Curador

O Conselho Curador é responsável pela gestão do F/ABRAJI e por deliberar sobre as diretrizes do fundo. Atualmente, integram o órgão um especialista em finanças, o presidente de turno da ABRAJI, todos os ex- presidentes e o secretário-executivo da associação. Os mandatos dos conselheiros variam de quatro a seis anos, com exceção dos ocupantes dos cargos de secretário-executivo e de presidente da ABRAJI, pois essas funções têm assento permanente no Conselho.

Marcelo Beraba

Presidente da ABRAJI, 2003-2007

Marcelo Beraba é diretor do Grupo Estado em Brasília. Trabalhou em O Globo, no Jornal do Brasil, na TV Globo e na Folha de S.Paulo, onde exerceu, entre outras, a função de ombudsman. É um dos fundadores e foi o primeiro presidente da Abraji. Recebeu em 2005 o Prêmio Excelência em Jornalismo do ICFJ.

Angelina Nunes

Presidente da ABRAJI, 2008-2009

Angelina Nunes é mestre em Comunicação pela Uerj (RJ), recebeu prêmios internacionais de jornalismo, como Rey de España, IPYS e SIP, e nacionais, como Esso, Embratel, Vladimir Herzog e CNH. É membro do International Consortium of Investigative Journalists (ICIJ) e coordenadora do Programa Tim Lopes.

Fernando Rodrigues

Presidente da ABRAJI, 2010-2011

Fernando Rodrigues é mestre em Jornalismo Internacional pela City University, de Londres, cobriu todas as eleições presidenciais brasileiras desde a redemocratização. Em 2016, lançou o portal Poder360 (www.poder360.com.br). Tem 4 Prêmios Esso. Foi fellow na Fundação Nieman, em Harvard. Em 2018, ganhou o Maria Moors Cabot, o prêmio mais antigo oferecido a jornalistas.

Marcelo Moreira

Presidente da ABRAJI, 2012-2013

Marcelo Moreira é editor-chefe de Projetos Especiais na TV Globo, foi um dos fundadores da Abraji. Trabalhou em O Dia, A Notícia e no Jornal do Brasil. Em 2006 passou a integrar o conselho do International News Safety Institute (INSI). Fez curso de Jornalismo Investigativo na Universidade de Columbia (Nova York) e foi Knight-Wallace Fellow na Universidade de Michigan, ambas nos EUA.

José Roberto de Toledo

Presidente da ABRAJI, 2014-2015

José Roberto de Toledo é introdutor das técnicas de jornalismo de dados no Brasil e editor responsável pelas mídias digitais da revista piauí. Foi colunista de política na Folha e Estadão, comentarista e entrevistador na TV Cultura e RedeTV!

Thiago Herdy

Presidente da Abraji, 2016-2017

Thiago Herdy é repórter do jornal O Globo e da revista Época em São Paulo. Formado em Jornalismo pela PUC de Minas Gerais, trabalhou no Estado de Minas, Diário da Tarde e no Diário do Comércio. É vencedor dos prêmios Esso 2008 e 2010, nas categorias regionais.

Edvaldo Morata

Sócio da Eneas Alternative Investments

Edvaldo Morata é executivo com 30 anos de experiência no mercado financeiro. Iniciou sua carreira no Citibank e teve passagem pelo ING Bank no Brasil e na Inglaterra. Foi responsável por toda a atividade de gestão de fundos, carteiras e patrimônios do Santander no Brasil.

Cristina Zahar

Secretária-executiva da ABRAJI

Cristina Zahar é formada em Jornalismo pela Cásper Líbero e tem 30 anos de experiência. Foi editora-adjunta de Esportes e editora de Economia na Folha de S.Paulo, diretora editorial da Abril Coleções e CEO no Brasil da editora inglesa Eaglemoss. Possui DEA (mestrado) em Comunicação pela Universidade Michel de Montaigne (Bordeaux III), na França, e MBA em Gestão Empresarial pela FIA-USP.

Equipe
Cristina Zahar

Cristina Zahar é jornalista e gestora com 30 anos de experiência. Formada em Jornalismo pela Cásper Líbero, foi editora de Esportes e de Economia na Folha de S.Paulo, diretora da Abril Coleções e CEO no Brasil da Eaglemoss, editora inglesa de miniaturas colecionáveis. Geek assumida, é fã de super-heróis e do gênero fantasia – leu todos os livros de O Senhor dos Anéis e As Crônicas de Gelo e Fogo, que originaram a série Game of Thrones.

Gisele de Lima

Gisele de Lima é formada em Administração com ênfase em Finanças, trabalhou na TV Cultura e no Instituto Vladimir Herzog. Atualmente trabalha em duas associações parceiras, a Abraji e a Jeduca, desde 2016, ambas na área financeira e administrativa. Shazam, seu golden retriever, dá trabalho, mas faz o maior sucesso no Insta.

Marina Iemini Atoji

Marina Iemini Atoji é formada em Jornalismo pela USP. Entrou na Abraji como secretária-executiva do Fórum de Acesso em 2011, poucos meses antes de a LAI ser aprovada. Desde 2013 acumula a gerência-executiva da ONG. Antes, foi pesquisadora e editora na Transparência Brasil. Produz mais trocadilhos do que deveria e é grande consumidora de vídeos de gatinhos na internet.

Tiago Mali

Tiago Mali é coordenador de cursos da Abraji. Formado pela PUC-SP, com pós-graduação na Universidade de Georgetown, foi editor na revista Época, editor e redator-chefe na revista Galileu, editor dos sites da ONU e do PNUD no Brasil, repórter e editor no site Terra. Sambista e santista, é famoso por seu azar, mas - talvez por ser masoquista - não desiste de tentar.

Rafael Oliveira

Rafael Oliveira está no 7º semestre de Jornalismo na USP. Passou um ano como repórter da Rádio e do Jornal da USP e foi freelancer de texto e foto no jornalismo esportivo. Desde janeiro é responsável pela maior parte do conteúdo do site. Depois de financeiro da Atlética e diretor de esportes de um campeonato, divide-se entre o atletismo e a diretoria do Centro Acadêmico. No escritório, carrega sempre mochilas, malas e sacolas além do razoável.